CURIOSIDADES

A equipe PORTELAMOR, disponibiliza algumas curiosidades sobre a nossa querida escola por julgar importante que mantenhamos vivos em nossas memórias fatos que marcaram o GRES PORTELA, e  que fazem parte não só da sua história, mas do samba e da cultura carioca.

Você também pode colaborar enviando-nos curiosidades, fotos que tenham relação com a história da Portela.

Equipe Portelamor


:: Ouro sobre Azul
Nos anos de 1920, vários grupos carnavalescos surgiram, dentre eles, o Ouro sobre Azul, de Paulo da Portela. O significado deste nome do antigo bloco é curioso. A expressão significa coisa muito linda, muito boa, magnifica, favorável. É termo antigo usado na espingardaria. As espingardas tinham um tom azul, por conta do aço temperado e havia inscrições feitas a ouro que eram colocadas nas armas. Em Portugal "ouro sobre azul" significa "perfeição" e há uma expressão similar em espanhol: "mel sobre hojuelas". O Ouro e azul eram uma combinação frequente no vestuário de reis e rainhas, desde o Renascimento até o final do século XVIII. O azul viria a ser a cor de nossa querida Portela. Salve Paulo da Portela.
:: Fundação do bloco carnavalesco Conjunto Oswaldo Cruz
Em 1923, foi fundado, embaixo de uma mangueira, na casa de seu NAPOLEÂO (pai de NATAL), o bloco carnavalesco Conjunto Oswaldo Cruz, que é a fusão dos Blocos Baianinhas e Come Mosca, tendo como principais responsáveis: Paulo Benjamim de Oliveira, Antonio Caetano, Antonio Rufino, Natalino José do Nascimento, entre outros, sendo feita a primeira Junta Governativa: Paulo da Portela o Presidente, Antônio Caetano o Secretário e Antônio Rufino o Tesoureiro. Natal, à época, era somente ligado ao futebol, mas como amigo de Paulo, esteve presente na fundação.
:: Conjunto de Oswaldo Cruz vence concurso em 1929
Em 1929 acontece o primeiro concurso de sambas conhecido. Organizado pelo pai-de-santo Zé Espinguela, este concurso contou com a participação de sambistas do Estácio,da Mangueira e de Oswaldo Cruz, tendo sido divulgado por Zé Espinguela na coluna que ele tinha no jornal Vanguarda, e sendo vencido pelo Conjunto de Oswaldo Cruz
:: Bandeira da Portela é inspirada em bandeira do Sol Nascente
A nova bandeira da agremiação foi desenhada por Antônio Caetano, que passou a ocupar o cargo de presidente. Escolheu como cores o azul e o branco, que já eram associadas à agremiação desde 1929,e o modelo de bandeira, com faixas diagonais partindo de um círculo central, que mais tarde tornaria-se um padrão para a maioria das escolas de samba. Segundo Caetano, tal modelo seria inspirado na Bandeira do Sol Nascente.
:: Batismo da Portela
O Batismo da PORTELA, foi realizado por dona Esther Maria de Jesus (do Bloco Come Mosca), que consagrou Nossa Senhora da Conceição (Oxum) como madrinha e São Sebastião (Oxóssi) como padrinho. Hoje, Nossa Senhora da Conceição é a padroeira da escola, e São Sebastião é o santo protetor da bateria.
:: S. Sebastião, Santo protetor da bateria
Todo diia 20 de janeiro a PORTELA sai às ruas em procissão a São Sebastião. Muitos afirmam que as características peculiares da bateria da PORTELA foram inspiradas nas batidas dos atabaques para Oxossi.
:: Licenciamento em delegacias
No início dos anos de 1930, as escolas de samba tinham que obter licenciamento na delegacia de costumes para funcionarem. O delegado da região de Oswaldo Cruz, Dulcídio Gonçalvez, vetou o nome "Vai como Pode", como contam vários fundadores da Portela, sido este delegado quem acabou por dar o nome da escola, devido também ao fato de que a Estrada da Portela era o local onde os sambistas se reuniam. Ainda que parece história de filme ou romance, é uma das páginas curiosas e belas de nossa agremiação.
:: Portela inova com enredo e alegoria em 1931
Em 1931, mesmo sem um concurso oficial, a agremiação apresentou-se com duas inovações em termos de escolas de samba, trazidas dos ranchos:o enredo "Sua majestade, o samba", e uma alegoria de uma figura humana integrada por instrumentos de percussão
:: Portela recebe em sua quadra cientistas franceses
Em 1931, a Portela recebia em sua quadra visitantes ilustres, um grupo de cientistas franceses ilustres, em evento pioneiro na história das escolas de samba. A Azul e Branco foi também pioneira, ao visitar os salões da alta sociedade, em 1933, no caso, o Clube Alemão Pró-Arte. Foi a primeira escola a atuar no cinema nacional, no filme Favela dos meus amores, de 1935. Em 1959, a escola se apresentou para a Duquesa de Kent, da realeza britânica e em 1968 recebeu na antiga sede a visita do presidente chileno Eduardo Frei. Era o samba domiando o mundo, título do enredo do desfile de 1935, com que a Portela conquinstou seu primeiro campeonato. (Lopes, Nei; Simas, Luiz Carlos. Dicionário da História Social do Samba).
:: Portela participou do primeiro desfile em 1932
PORTELA, MANGUEIRA e UNIDOS DA TIJUCA são as únicas escolas que participaram do primeiro desfile, realizado em 1932, que continuam em atividade até hoje.
:: Portela é a única escola que participou de todos os desfiles principais do carnaval
A PORTELA é a única escola que participou de todos os desfiles principais do carnaval carioca de 1932 até hoje, visto que, em 1937 o delegado Dulcídio Gonçalves mandou encerrar o desfile antes que a Mangueira e Unidos da Tijuca se apresentassem. Tal fato faz com que a Verde-e-Rosa não reconheça o resultado final desse desfile.
:: Foi Portelense a primeira mulher a tocar surdo.
Dagmar, esposa de Nozinho, irmão de Natal da Portela, foi a primeira mulher a tocar surdo numa bateria de Escola de Samba.
:: As quartas-feiras sempre foram especiais na Portela.
A quarta-feira tem uma especial importância para a PORTELA, já que a data de sua fundação, dia 11 de abril de 1923, caiu em uma quarta-feira.
::Peixadas nas quartas de cinzas
Nas quartas-feiras de cinzas, "João Calça Curta", ex-presidente da PORTELA, realizava, em sua casa, uma concorrida peixada na qual compareciam importantesfiguras do carnaval carioca e, claro inúmeros integrantes da PORTELA, principalmente aqueles pertencentes a Velha Guarda.
:: Portelense de chapéu e gravata
A preocupação de vestir-se bem acompanha a escola desde seus primórdios. Paulo da Portela, preocupado em livrar o sambista do estereótipo de "malandro"e "vagabundo", impôs ao grupo que se tornou conhecido como "cabeça e pescoço tapados" a obrigatoriedade de o portelense trajar chapéu e gravata.
:: Dodô da Portela
Que Dolores Alves, a Dodô da Portela, foi a porta-bandeira do primeiro campeonato da Portela em 1935 e é atuante e desfila até hoje no GRES Portela.
:: Sedes da Portela
A primeira sede da PORTELA foi na casa de PAULO DA PORTELA, na Barra Funda, a segunda, na Estrada do Portela nº 412, onde mais tarde foi construído o Bar do Nozinho,a terceira na Estrada do Portela, onde foi construído depois a Portelinha, e a quarta, na Rua Arruda Câmara que passou a se chamar Rua Clara Nunes (famosa portelense) após sua morte, o Portelão.
:: Primeira Alegoria
Segundo o Dicionário da História Social do Samba (LOPES, Nei; SIMAS, Luiz Carlos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015), a Portela apresentou, em 1935, aquela que seria considerada a primeira alegoria propriamente dita, uma baiana sobre o globo terrestre, que ilustrava o enredo 'O samba dominando o mundo'. É a pioneira, mais pioneira do que nunca, fazendo história nos primórdios dos desfiles oficiais.
:: Teste ao Samba, considerado o primeiro samba-enredo
Em 1939, a Portela foi novamente campeã com o enredo "Teste ao Samba", que é considerado por alguns como o primeiro samba-enredo, muito embora os estudiosos majoritariamente entendam que o primeiro samba-enredo na verdade tenha sido o da Unidos da Tijuca em 1933.
:: Fantasias totalmente enquadradas no enredo
Pela primeira vez, em 1939, uma escola de samba trazia fantasias totalmente enquadradas no enredo. Paulo representava um professor, e o restante da escola,vestido de alunos, chamava atenção não só pela uniformidade, mas por ter usado na confecção das fantasias materiais como cetim e lamê, que devido ao alto preço impediram alguns portelenses de desfilar esse ano.
:: Zé Carioca foi inspirado em um Portelense
Em 1941, o empresário Wall Disney, numa visita em cumprimento a política de boa vizinhança do governo americano, assiste a uma animada noite de samba em Oswaldo Cruz. De volta ao Estados Unidos, surge na prancheta de seu desenhista, artista que o acompanhou durante a viagem, o personagem "Zé Carioca", muito provavelmente inspirado em algum sambista portelense.
:: Portela, a única escola heptacampeã
A PORTELA é a única escola heptacampeã do carnaval carioca, posto que ganhou todos os títulos disputados entre 1941 a 1947, inclusive.
:: Em 1941, Paulo da Portela não desfila em sua escola
Em 1941, após um desentendimento com o mestre-sala Manuel Bambambã, Paulo da Portela não desfilou. Paulo durante muito tempo brigou para que todos os componentes desfilassem devidamente fantasiados ou se não, vestidos com as cores da escola, porém no dia deste desfile ele voltava de uma apresentação em São Paulo, juntamente com Heitor dos Prazeres e Cartola, e estavam todos vestidos de preto e branco. Sem tempo para trocarem de roupa, combinaram de desfilar um em cada um de suas escolas de samba. Porém na hora de desfilarem na Portela, Bambambã não permitiu os outros dois, por não serem da escola e não estarem devidamente vestidos.
:: Paulo da Portela, modelo para criação do personagem Zé Carioca
Durante as tentativas dos Estados Unidos da América de construir uma "relação de boa-vizinhança" com os seus vizinhos da América do Sul, Paulo da Portela foi escolhido para ser o modelo da criação do personagem Zé Carioca, bem como para representar o samba no exterior. Por conta disso a Portela excursionoupelos Estados Unidos, e acabou sendo apresentada no evento pelo próprio Paulo da Portela
:: Paulo da Portela e Xangô da Mangueira
Xangô da Mangueira iniciou-se no samba na União de Rocha Miranda, transferindo-se posteriormente para a Portela, onde foi discípulo do célebre Paulo da Portela. Após a saída de Paulo da escola, no início da década de 1940, Xangô seguiu Paulo por um tempo na Lira do Amor, porém, como também admirava a Mangueira, pediu permissão a seu mestre, sendo por ele indicado a diretoria mangueirense, onde Paulo da Portela também possuía grandes amigos. Na Mangueira, Xangô permaneceu pelo resto da vida. Fonte: Wikipédia
:: Tabajara do Samba
Sua bateria é chamada de "A Tabajara do Samba", e tem como característica principal o toque do Surdo de Terceira inventado por Sula na década de 1940 e o toque das caixas com uma rufada peculiar. Foi uma das baterias mais pesadas do carnaval carioca e contava com um grande número de surdos de Primeira, Segunda e Terceira. Nos últimos anos, a escola mudou essa característica para se adaptar ao andamento mais rápido.
:: Carnaval dos 400 pontos
Em 1952 o resultado do desfile havia sido anulado, por impugnação da Império Serrano, ficou decidido que o vencedor do carnaval de 1953 seria automaticamente o campeão do ano anterior. Por isso, os portelenses festejam a vitória daquele ano como o carnaval dos 400 pontos, multiplicando por dois o total de pontos apurados na apuração.
:: Portela, nota 10 ! Nota 10!
A PORTELA foi a primeira escola a ser campeã com nota 10 em todos os quesitos. Tal fato ocorreu em 1953, ano da reunificação do samba.
:: Introdução de tripés ao desfile
Em 1953, quando o Sr. Armando Santos era presidente da escola, teve muita dificuldade para apresentar o carnaval. Somente no dia do desfile conseguiu baterias que gerassem energia para a iluminação dos painéis que ilustrariam o enredo As seis datas magnas. Naquele ano, introduziu os tripés no desfile das escolas de samba. Foi um desfile magnífico e a Portela obteve nota máxima em todos os quesitos.
:: A caixa-surda
Dentre inúmeras inovações na história dos desfiles das Escolas de Samba, a Portela foi a primeira a introduzir a caixa-surda, o apito na bateria, sendo a pioneira no uso de uniformes na Comissão de Frente. Além, claro, como é sabido, de ter sido a primeira escola a desfilar com alegorias. A ligação polêmica entre escolas de samba e jogo do bicho também teve início na Portela, na figura do presidente Natal. (LOPES, Nei; SIMAS, Luiz Carlos. Dicionário da História Social do Samba. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015).
:: A velha Guarda da Portela
A Velha Guarda da Portela foi criada por Paulinho da Viola com o objetivo de reunir em disco o rico repertório dos bambas da escola. Embora o Dicionário da História Social do Samba (Lopes, Nei; SIMAS, Luiz Carlos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,2015) ale em dois LPs, há quatro registros do grupo: Passado de glória, de 1969/1970; Doce recordação, de 1986; Homenagem a Paulo da Portela, de 1989/1990; e Tudo azul, de 1999/2000 (a duplicicade de anos se deve à diferença entre ano da gravação e ano de lançamento). Outra curiosidade: os álbuns de 1986 e 1990 foram produzidos pelo japonês Katsunori Tanaka, um apaixonado pela Velha Guarda da Portela e pelo samba carioca.
:: Mestres de bateria da Portela
Foram mestres de bateria da Portela: Mestre Betinho, da fundação até 1970, Oscar Bigode, em 1971 e 1972, Mestre Cinco, entre 1973 e 1977, Mestre Marçal, entre 1978 e 1986, Mestre Timbó, na década de 1990, Mestre Paulinho de Pilares, Mestre Mug, Mestre Catanha, Mestre Marçalzinho e, desde 2006, Mestre Nilo Sérgio.
:: O Portelão
Em 1972, Natal deu início a construção do Portelão.
:: Inovação na Comissão de Frente
Em 1973, a Portela desfilava com mais de 4500 componentes, além de inúmeros destaques que davam à Avenida Presidente Vargas um colorido a mais destaques que davam à Avenida Presidente Vargas um colorido a mais, segundo a Revista Manchete da época. Segundo a Revista Manchete da época. Com o enredo Pasárgata, o amigo do Rei, baseado no poema "Vou me embora ? com a bateria e com o canto, entretanto um dos grandes destaques daquele desfile foi a Comissão de Frente, tradicionalmente formada pra Pasárgada", de Manuel Bandeira, a favorita Portela teve problemas com a bateria e com o canto, entretanto grandes destaques daquele desfile foi a comissão de frente, tradicionalmente formada por homens vestindo terno, mas com 15 belas mulatas .
:: 1984, surge a Portela Tradição
A partir dos anos 1980, a escola enfrentou muitos problemas internos, que se refletiram nos desfiles e em suas colocações. Culminando com a criação de uma dissidência, que originou a Tradição, desde então, a Portela nunca mais conseguiu sagrar-se campeã. Seu melhor momento foi em 1995 quando o enredo "Gosto que me enrosco" deu o vice-campeonato à escola.
:: Katsunori Tanaka
Para entendermos o nível de descaso com a cultura popular, foi preciso que um japonês apaixonado pelo nosso samba, o produtor Katsunori Tanaka, desse ao público dois álbuns da Velha Guarda da Portela: Doce Recordação (1986) e Homenagem a Paulo da Portela (1990). O detalhe é que ambos foram lançados no Japão, levando anos para chegarem ao Brasil Os dois álbuns só surgiram no mercado brasileiro em 2001, mais de uma década depois de seu lançamento no exterior.
:: Surge a Primeira Torcida Organizada de Escolas de Samba
Fundada em 25/10/2003, a Guerreiros da Águia foi a primeira torcida organizada de uma escola de samba, às exceção das "escolas de samba esportivas", comuns em São Paulo, onde a própria entidade atua como torcida dela mesmo.
:: PORTELAWEB
Surge em 2000, o site da equipe Portelaweb que torna-se referência devido ao seu conteúdo de informações sobre a Majestade do Samba.
:: G.R.C.E.S.M. FILHOS DA ÁGUIA
Em 31 de julho de 2001 foi criada a escola de samba mirim da Portela, GRCESM FILHOS DA ÁGUIA que tinha como presidente, Osni Nascimento, filho de Natalino José do Nascimento
:: PORTELAMOR
Em 2011 é criada a segunda torcida organizada do GRES Portela, PORTELAMOR, com o a ideologia de manter vivo o amor, o respeito, a amizade, o carinho e a dedicação para PORTELA.
:: O drone em forma de águia
Em 2014, Portela surpreeende trazendo para o carnaval um drone, um veículo aéreo tripulado remotamente com o formato da águia, simbolo da escola, sobrevoando todo o sambódromo.
:: Águia Redentora
Criada pelo carnavalesco Alexandre Louzada para o desfile de 2015, a Águia Redentora foi até agora a maior águia da história da Portela, com 23 metros de altura e 22 metros de envergadura. Totalmente inserida no enredo, a Redentora representou o Cristo Redentor, fundindo-se com a imagem do mais famoso cartão postal do Rio de Janeiro. A Águia Redentora foi a grande imagem-símbolo do Carnaval carioca de 2015 e uma das mais impactantes na história da festa, em todos os tempos. A Redentora curvava-se diante do público em vários momentos do desfile, levando-o ao delírio.
:: Paraquedistas na avenida
Joãozinho Trinta trouxe um Homem-Voador para a Avenida, na Grande Rio. O sonho de voar na Marquês de Sapucaí, entretanto, teve a sua imagem mais bem acabada no ano de 2015, com o inesperado pouso de três paraquedistas trazendo o nome da Portela. Novamente, a escola confirma a tradição de ser a maior inovadora na história dos desfiles. O feito foi repetido este ano, com mais três paraquedistas encantando o público da Sapucaí. Foi a primeira vez na história que paraquedistas pousaram na Avenida mais famosa do samba.
:: Poseidon
Na Comissão de Frente de 2016 trouxe a figura impressionante de um Poseidon flutuando por sobre as águas fazendo uso do Flyboard. Um caminhão pipa abasteceu o tanque onde um ator representando o deus grego encantava o público com seu bailado aquático. Uma das grandes imagens do Carnaval de 2016.